Modalidades

Componentes Criticas Futebol

Componentes Criticas Basquetebol

Componentes Criticas Andebol

Componentes Criticas Voleibol

Componentes Criticas Atletismo - 1º Período

Componentes Criticas Atletismo - 2º Período

Componentes Criticas Atletismo - 3º Período

Componentes Criticas Ginástica

Componentes Criticas Mini-Trampolim

Componentes Criticas Badmington

História das Modalidades

História Futebol

História Basquetebol

História Andebol

História Voleibol

História Atletismo

História Ginástica

História Badmington

Sábado, 24 de Janeiro de 2009

História Ginástica

     O termo ginástica, provém da palavra grega “gymnos” (nu) pelo facto de, na antiguidade clássica, os exercícios se praticarem com o corpo nu.

Com a queda do Império Romano, o corpo passou a ser ignorado e com isso a ginástica sofreu durante um longo período de tempo, para renascer no século XVIII com a influência de vários pensadores que se debruçaram sobre as vantagens da prática do exercício físico. Contudo, é de realçar o contributo de Jean-Jacques Rousseau (1712- 1778), na obra pedagógica "Emílio", em que o autor se refere à necessidade da pratica física como meio para atingir a razão.

     A partir daqui surgiram várias correntes, que encontraram eco na Alemanha com Johann Bernard Basedow (1723-1790), pedagogo e educador, que conseguiu assimilar e transformar os princípios orientadores de Rousseau e impulsionou a ginástica, tendo para isso criado em 1775 o pentatlo de Dassau, no seu "Philanthropicum", constituído por provas de corrida, saltos, transporte, de equilíbrio e de trepar, formando os seus seguidores. Foi o primeiro pedagogo, desde a Antiguidade, a defender que o exercício físico deveria fazer parte dos programas das escolas primárias.

     Em 1784, Christian Gotthlif Saltzmann (1744--1811), pedagogo e educador, abre um outro "Philanthropicum", em Schneppenthal para em 1785 Johann Christoph Friedrich Guts-Muths (1759-1839), professor e educador, considerado o "pai" da ginástica pedagógica, iniciar a sua obra donde nasceu um novo conceito de ginástica.

Foi um impulsionador da educação física obrigatória; utilizou o "Philanthropicum" de Schnepfenthal: a par da corrida, saltos, lançamento, luta e natação, os exercícios de trepar e de equilíbrio. As ideias filantrópicas e os conteúdos pedagógicos de Guts-Muths tiveram eco nos países da Europa, especialmente na Suécia, Dinamarca e França.

     No princípio do século XIX, surge um novo conceito de ginástica na Alemanha com Friedrich Ludwig Jahn (1778-1852). Para além de criar aparelhos e novas formas gímnicas, fundou, em 1811, o primeiro ginásio ao ar livre de Hasenheide, Berlim. Daí nasceu o termo "Turnkunst" pelo qual ele substitui a palavra "Gymnastik". A ginástica de Jahn, com um conteúdo mais social e patriótico, rapidamente superou as ideias pedagógicas de Guts-Muths, tendo por objectivo formar homens fortes para defender a pátria.

     O primeiro festival alemão data de Outubro de 1814, para comemorar o aniversário da vitória sobre Napoleâo. na batalha de Leipzig. Os festivais desportivos favoreceram a propaganda das teorias de Jahn e a unidade da Alemanha e contribuíram para o incremento do movimento gïmnico. A sua actividade foi interrompida na Alemanha por motivos políticos, de 1820 a 1842, período a que se chamou "Bloqueio Ginástico". Mesmo assim, os ginastas praticavam-no, sob a designação de "Gymnastik", em salas e em pavilhões, que permaneceram até aos nossos dias. Ora, a sua mudança foi de ordem política e não climatérica, e por consequência originou uma maior importância para a ginástica de aparelhos.

     Em 1811, surgiu também Ling, um Sueco que desenvolveu um sistema de ginástica diferente do de Jahn. Ling baseou mais o seu trabalho em factores médicos e anatómicos e classificou os exercícios físicos de acordo com esta linha de pensamento. Trabalhou com e sem aparelhos considerando de primeira importância o movimento do corpo em vez de aquisição de destreza. Pode dizer-se que, no fim do século XIX, a ginástica se entendia como um importante elemento no sentido da formação do homem e do soldado.

     Entretanto, a sua utilidade como meio de educação, progressivamente aceite, vai originar a sua inclusão na generalidade dos programas escolares.

A sua afirmação no plano desportivo dá-se na Olimpíada de Atenas, durante os primeiros jogos, em 1896, ou seja, 15 anos depois da formação da “Federação Internacional de Ginástica”. Na sua imposição como disciplina Olímpica, deve destacar-se a acção desenvolvida pelo renovador dos Jogos Olímpicos Modernos: Pierre de Coubertin. A partir dos Jogos Olímpicos de Helsínquia (1952), a ginástica assume a forma segundo a qual é hoje praticada, como uma modalidade simultaneamente exigente, espectacular e completa, nos termos em que é universalmente aceite e compreendida.

   

publicado por Vamos Fazer Educacao Fisica às 16:42
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Mariana a 19 de Agosto de 2011 às 13:02
Eu não gostei de quando falou que era nu que eles(a) fazinhan ginastica
De Domingos Balaca Xavier a 18 de Março de 2014 às 12:14
A ginástica além de manter-no saúdavel também desenvolve a nossa capacidade intelectual,visto q elá é encêncial ao homem
De JOAQUIM ANTONIO FILIPE a 25 de Março de 2014 às 15:45
<GINASTICA E A VIDA><PORQUE O HUMANO FICANDO SEM PRATICAR NEMNHU EXERCICIO FISICO AS CELULAS FICAM DESCOMADANDAE FRACOS
De Jeremias Ângelo Kapala a 10 de Outubro de 2014 às 10:56
ginastica nú este me parace engraçado

Comentar post

mais sobre mim

pesquisar

 

Janeiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
23
25
26
27
28
29
30
31

tags

todas as tags

links

subscrever feeds